CASA DA FONTE MOURO

Fonte Mouro 1 - T1

Sala e quarto, ar condicionado em todas as divisões, cofre, sala com salamandra, TV (120 canais), Internet wi-fi, kitchenette com mini-frigorífico, placa eléctrica, micro-ondas, torradeira, jarro eléctrico e máquina de café

WC com duche e secador de cabelo

Capacidade: 2 adultos


Fonte Mouro 2 - T1 duplex

Sala e quarto, ar condicionado em todas as divisões, cofre, sala com salamandra, TV (120 canais), Internet wi-fi, kitchenette com mini-frigorífico, placa eléctrica, micro-ondas, torradeira, jarro eléctrico e máquina de café

WC com duche e secador de cabelo

Capacidade: 2 adultos


Fonte Mouro 3 - T1 duplex

Sala e quarto, ar condicionado em todas as divisões, cofre, sala com salamandra, TV (120 canais), Internet wi-fi, kitchenette com mini-frigorífico, placa eléctrica, micro-ondas, torradeira, jarro eléctrico e máquina de café. Sala com sofá-cama 

WC com duche e secador de cabelo

Capacidade: 4 adultos


História

A casa da Fonte Mouro deve o seu nome a uma das fontes da nossa quinta.

Aqui existe uma fonte, chamada Fonte do Mouro que, segundo a história era muito utilizada por um trabalhador conhecido como o mouro, assim baptizada pelas características da sua pele mais escura.

Contam-nos os mais idosos que os antigos donos daquela quinta, em tempos muito fértil, traziam sempre vários empregados - era assim que se diziam na região - a trabalhar, um deles de pele mais escura era conhecido como o mouro por se pensar que descendia dos mouros que na antiguidade povoaram a região de Marvão. Pois esse "mouro" gostava de ir beber água a esta fonte e como se dizia entre os colegas de jorna que tinha alguns saberes sobre feitiços, todos os outros preferiam ir beber de outra fonte a poucas dezenas de metros desta. A partir dessa altura a fonte passou a ser conhecida como a fonte do "mouro" porque apenas este se refrescava nela, perdurando o nome da fonte até aos dias de hoje.

Quem sabe se nos refrescarmos na fonte e bebermos da sua água não aprendemos algum feitiço deixado a pairar no ar pelo nosso antepassado "mouro".